A eficiência dos equipamentos de raios X fixos e móveis

A eficiência dos equipamentos de raios X fixos e móveis

Com a descoberta dos raios-X no século 19, os exames por imagem passaram por um grande processo de evolução. Os equipamentos radiográficos foram os precursores de todas as tecnologias seguintes em diagnósticos por imagem (ultrassonografia, ecocardiograma, raio X, tomografia computadorizada, ressonância magnética etc.).

Na VMI Médica, fabricamos duas variações de modelos de equipamento de raios X: Os raios X móveis e os raios X fixos.

Os móveis destacam-se pela mobilidade, manuseabilidade e versatilidade oferecidas, principalmente para exames a beira leitos e salas com tamanhos reduzidos. Os fixos são equipamentos mais robustos, demandando uma infraestrutura de sala preparada para receber suas instalações.

Geralmente composto por mesa horizontal com grande mobilidade e, na parte superior, uma ampola responsável pela emissão da radiação através de feixes de raios X e colimadores.

Raio X Digital x Convencional

Em um equipamento de raios X convencional, a captação das imagens ocorre em gravação de filme, sendo necessária sua revelação para visualização radiográfica.

Nos aparelhos digitais, a captação das imagens ocorre através de uma placa sensível à radiação, registrando os dados obtidos, formando imagens em forma de pixels convertidos para exibição na tela de um computador ou receptor digital.

O recurso digital ainda permite melhores ajustes de contrastes, além da exposição radiológica ocorrer em tempos mais reduzidos.

Fluoroscopia em exames de raio X

Os exames com a fluoroscopia permitem uma visualização interna de movimentos em uma parte do corpo. É muito utilizado no suporte a tratamentos oncológicos e cardíacos onde auxilia a inserção de cateteres e marcapassos em pacientes.

O exame ainda utiliza do (líquido do) contraste para uma melhor visualização e clareza na obtenção das imagens, onde durante o exame é possível o caminho percorrido por ele nas estruturas corporais.  

Arcos cirúrgicos para exames radiológicos

Equipamentos de raio X em arco em C, precisam apresentar a manuseabilidade necessária em salas de cirurgia, aliando recursos tecnológicos capazes de proporcionar imagens de excelente qualidade, a menores doses de exposição em um bloco cirúrgico.

O seu formato em arco amplifica a visibilidade de estruturas corporais com seus movimentos em diversos ângulos e deslocamentos verticais, horizontais e transversais. Isso possibilita ainda a obtenção de imagens mais nítidas do que está ocorrendo na estrutura corporal do paciente.  

Componentes do um equipamento de raio X

Um equipamento de raio X apresenta certa complexidade em seus componentes de engenharia, sendo necessário conhecimento e expertise técnica para manutenções e reparos. Os principais itens de um aparelho são o tubo de raios X, o transformador de alta tensão, o colimador e a carcaça protetora. Há ainda o console de operação, grade, bucky mural e filme radiográfico.

Manutenções corretivas x manutenções preventivas

A manutenção corretiva é realizada com o objetivo de restaurar as condições ideais de operação dos equipamentos, eliminando as fontes de falhas que possam existir, restabelecendo as configurações ideais de uso a fim de evitar problemas, inclusive de segurança para operadores e paciente.

A manutenção preventiva deve ser realizada periodicamente, visando prevenir problemas e reduzir a incidência de defeitos antes que possam surgir, garantindo que equipamento não precise ficar inutilizado em razão de vícios, diminuindo a queda de desempenho.

O funcionamento apropriado dos equipamentos exige boas práticas fundamentais de manutenção, controle e proteção (contra a radiação) por profissionais capacitados e especialistas em suas atividades.

Principais exames possíveis em equipamentos de raio X

Os equipamentos de raio-X evoluíram a ponto de oferecer o uso para identificação não somente de fraturas ou problemas ósseos, mas problemas nos sistemas e órgãos internos dos pacientes, como pedras nos rins, além de obstruções intestinais, inflamações pulmonares (pneumonia) como as causadas pelo vírus da COVID 19, a cardiomegalia, pneumotórax dentre outras.

Na região da coluna, pescoço e cabeça, podem ser identificadas hernias de disco, artroses fissuras ósseas e doenças crônicas como por exemplo a sinusite que é uma inflamação da mucosa nos seios da face.   

Versatilidade a serviço da saúde

A evolução do raios X, a medida que foram descobertas novas maneiras de potencializar o uso da radiação como possibilidade de composição do diagnóstico, tornou os equipamentos grandes maiores aliados no entendimento das estruturas corporais para identificação de patologias em pacientes (crônicas ou não).

Com o grande ganho em importância dos equipamentos em hospitais e clínicas, fez se necessário uma busca incessante dos fabricantes por soluções cada vez mais tecnológicas, destacando aqueles que conseguem entender as aplicabilidades possíveis, bem como as necessidades e demandas mercadológicas por uma maior praticidade, segurança e versatilidade dos equipamentos.

Conheça a linha de raios X fixos e móveis da VMI Médica.